Jusbrasil Jurídico Certo e Jusbrasil uniram forças e o mercado jurídico agradece. Saiba mais sobre a fusão!

O JOVEM ADVOGADO E O MERCADO DE TRABALHO


29/08/2014 às 10h29
Por Bruno Moraes . Advocacia Especializada

No último dia 20, ao abrir o Encontro Nacional dos Jovens Advogados, em Cuiabá, o presidente da OAB Nacional, Marcus Vinicius Furtado Coêlho, lançou a ideia de elaboração de um plano de apoio ao advogado em início de carreira. "Trata-se de uma causa fundamental para a advocacia. Os projetos de estímulo aos jovens advogados devem ser institucionalizados na OAB, tornando- se uma política permanente”, destacou o presidente.

Ingressar no mercado de trabalho, após concluir o ensino superior em qualquer área, não é tarefa fácil. Tal panorama parece acirrar-se quando se trata do mercado da advocacia, tornando-se assim, mais um grande desafio a ser enfrentado pelos jovens advogados, que ao fim da faculdade já se deparam com o tão temido Exame de Ordem.

Ante o citado desafio, notamos que grande parte dos jovens bacharéis em direito atualmente tentam o ingresso na carreira pública, pela via do concurso público, vezes por medo, insegurança, dúvidas e outras celeumas que aparentemente circundam a advocacia.

Entretanto, o número expressivo de faculdades de direito e de advogados no mercado, não condizem necessariamente com a qualidade do profissional egresso da academia, nem tampouco com a especialidade deste, é necessário que o profissional se especialize, busque um diferencial a fim de se sobressair ante o atual mercado de trabalho.

Conforme levantamento feito, em Juazeiro, somos aproximadamente 410 advogados inscritos na OAB, dentre os quais, cerca de 150, são considerados jovens advogados, ou seja, com menos de cinco anos de exercício profissional. Vê-se que não é um número assim tão intimidador quanto se imagina, compreendemos que há espaço para o jovem advogado, ou melhor, para o bom advogado.

Nesse sentido, foi instituída a Comissão dos Jovens Advogados na OAB Juazeiro, com o intuito de promover a integração e a participação do jovem advogado nos rumos da OAB, para ouvir as reivindicações do advogado em início de carreira, propondo uma simbiose entre esse e a Ordem, promovendo palestras, seminários e eventos diversos.

É importante que o advogado recém formado usufrua das suas prerrogativas e exerça seus deveres, nos limites estabelecidos no Estatuto da Advocacia, no Código de Ética e Disciplina da OAB, Tabela de Honorários e demais instrumentos legais que balizam o exercício da profissão, a fim de salvaguardar os direitos do cidadão.

  • Jovem Advogado
  • Advocacia Jovem
  • OAB
  • Lei 8.906/94
  • EOAB
  • Código de Ética OAB

Referências

Bruno Moraes é Advogado, Pós-Graduado em Direito do Trabalho e Direito Previdenciário, Instrutor de Rotinas Trabalhistas, integrante do Escritório GURGEL ADVOCACIA TRABALHISTA, sediado em Salvador-BA e Presidente da Comissão dos Jovens Advogados da OAB - Subseção Juazeiro-BA.



Comentários