SUPERENDIVIDADO ?


18/04/2016 às 00h05
Por Uesclei S. Barbosa

SUPERENDIVIDADO ?
VEJA AS DICAS!

A expansão da oferta de crédito, a falta de controle do orçamento doméstico e até mesmo as imprevisibilidades de fatores alheios a vontade do consumidor, torna cada vez mais comum o aparecimento de consumidores impossibilitados de honrar com suas dívidas.
Assim, o consumidor vulnerável se torna superendividado, ou seja, gasta mais do que ganha todos os meses. O superendividamento tornou-se um fenômeno social e econômico que precisa ser tratado, pois interfere, na maioria das vezes, na impossibilidade de o cidadão suprir suas necessidades básicas, como alimentação, vestuário e moradia. hoje, todos são estimulados a consumir de modo inconsequente, proporcionando desequilíbrio no orçamento mensal e ocasionando o estresse familiar.

_10 passos para renegociar as dívidas_

1.Procure o credor
Ao perceber que não vai poder pagar, já procure o credor antes da inadimplência. Se houver acordo, deixe tudo por escrito;

2.Entenda o que deve
Liste todas as suas despesas: água, luz, telefone, alimentação. Verifique quais são as suas dívidas (cartão de crédito, cheque especial, financiamentos, lojas, cheques sem fundos, condomínio);

3.Corte o que não precisa
Corte supérfluos e reduza despesas, aquelas que você pode ficar sem fazer por um período. Faça as contas e veja o que sobra para pagar as dívidas;

4.Histórico detalhado
Em uma carta, solicite ao credor o envio de dados detalhados da dívida como saldo devedor atualizado, encargos, total de parcelas pagas e faltantes, taxa de juros contratada, período de inadimplência;

5.Troque dívidas caras por baratas
As dívidas caras não são as que têm uma parcela maior, mas os juros mais altos, pois elas crescem rapidamente, como é o caso de cheque especial e cartão de crédito. Essas devem ser renegociadas primeiro;

6.Evite intermediários
Negocie diretamente com os credores o mais breve possível. Fuja de ofertas do tipo "limpe seu nome sem pagar a dívida", pois isso é fraude. Se precisar de orientação, procure Procon, SCPC, Serasa Experian ou advogados de sua confiança;

7.Só pague o que pode
Quando for renegociar a dívida, esteja certo de que pode pagar o que propôs. Não adianta renegociar e depois começar a dever de novo, pois piora a situação. Uma nova dívida leva o nome para os cadastros de inadimplentes por mais cinco anos;

8.Cancele cheque especial e cartão
Essas são as linhas de crédito mais caras do mercado. Nunca pague apenas o rotativo do cartão de crédito. O uso correto do cartão de crédito é comprar apenas o que pode pagar no dia do vencimento. Se não consegue fazer isso, cancele o cartão e use outras formas de financiamento, como empréstimo consignado e empréstimo pessoal;

9.Compre à vista
Depois de acertar as dívidas, passe a cultivar bons hábitos, como sair de casa com o dinheiro "contado". Se precisar comprar algo mais caro, deposite numa poupança o valor das prestações que iria pagar se usasse o crédito. Assim, poderá comprar à vista;

10.Poupança de emergência
Passado o sufoco, habitue-se a guardar ao menos 10% da renda para formar uma poupança para emergências e para o futuro.

  • dicas
  • prevenção
  • superendividado

Referências

www.facebook.com/uescleiadv


Uesclei S. Barbosa

Bacharel em Direito - Salvador, BA


Comentários